segunda-feira, 21 de abril de 2014

A Páscoa do Senhor

   Jesus Ressuscitou! 
Ele ressuscitou Realmente!





Rev. Edson Cortasio Sardinha

            Hoje começamos o Culto com a seguinte Antífona: "Jesus Ressuscitou! Ele ressuscitou realmente!"
            No Livro de Oração Comum do século XVI (o livro de oração amado por João Wesley) tem três orações para o Culto matutino:
            "Ó Deus, que para a nossa redenção entregaste o teu unigênito Filho à morte de cruz, e pela tua gloriosa ressurreição nos libertaste do poder de nosso inimigo; concede que morramos diariamente para o pecado, a fim de que vivamos sempre com Ele na alegria de sua ressurreição; mediante Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém".

            "Ó Pai Celestial, que fizeste com que a aurora santa brilhasse com a glória da ressurreição do Senhor; aviva em tua Igreja o Espírito de adoção, que nos é dado no Batismo, a fim de que nós, sendo renovados tanto no corpo como na mente, te adoremos com sinceridade e verdade; mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém".

            "Onipotente Deus, que por teu unigênito Filho Jesus Cristo venceste a morte e nos franqueaste as portas da vida eterna; concede que nós, que celebramos com alegria o dia da ressurreição do Senhor, ressuscitemos da morte do pecado, pelo teu Espírito vivificador; mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém".

            Estas orações expressam a grande celebração que é o Domingo da Páscoa para a Igreja cristã.  
            É o domingo de todos os domingos. O dia mais aguardado pela cristandade. O dia da renovação do nosso batismo e da confiança irrestrita no poder de Jesus sobre a morte. 
            É também o dia onde deveríamos lembrar de todos os cristãos que já morrerem e louvar a Deus pois todos ressuscitarão por Cristo, assim como Cristo ressuscitou. Ele é as primícias dos que dormem (I Co 15.20).
                João Wesley (1703-1791) dizia: "Há uma esperança" em todos aqueles que receberam este Espírito, uma esperança cheia de imortalidade. Sabem que morrer não é perder-se; os seus objetivos vão além da sepultura. Podem dizer alegremente: "Bendito seja o Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, de acordo com a sua misericórdia abundante, nos gerou de novo para uma esperança viva pela ressurreição de Jesus Cristo dos mortos, para uma herança incorruptível e imaculada e que não desaparecerá".         
            Gregório Magno (540-604) escreveu que: “Diante deste mistério (Ressurreição de Cristo), ficamos tão profundamente admirados e maravilhados, como diante dos mistérios da Encarnação e do nascimento virginal de Cristo”.
            Por causa da ressurreição de Cristo o domingo passou a ser o principal dia da semana. Jerônimo (347-420) dizia:  “O domingo é o dia da ressurreição, é o dia dos cristãos, é o nosso dia”.
            Agostinho de Hipona (354-430) chamava a Vigília Pascal de a mãe de todas as vigílias. A Páscoa é o dia da nossa esperança. Ele afirmava: “A ressurreição de Cristo é a nossa esperança”.
            Jesus ressuscitou e passou ser o Senhor da Igreja. Inácio de Antioquia (35-107) escreveu: É a Ele (Jesus) que eu procuro, a Ele, que morreu por nós; é Ele que eu quero, Ele, que ressuscitou por nós”.
            Nossa igreja, nossa fé e nosso culto a Deus estão firmados na ressurreição de Cristo. Paulo diz: "E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé" (1 Co 15:14).
            Por isso com toda alegria celebremos: Jesus Ressuscitou! Ele ressuscitou realmente!

domingo, 13 de abril de 2014

A Via-Sacra dos Evangelhos

 


A Via-Sacra dos Evangelhos

Quatorze estações de Cristo segundo os Evangelhos. Rev. Edson C. Sardinha
1. Jesus ora no Horto de Getsêmani, Monte das Oliveiras
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mt 26.36-46.
Contemple Jesus orando no Horto.
Oração: Senhor. Ajuda-me a aceitar a tua vontade. Que eu tenha um coração submisso para dizer: Não faça a minha vontade e sim a Tua. Reina sobre minha vida e me converta. Em Nome de Jesus. Amém.

2. Jesus, traído por Judas, é aprisionado
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mt 26.47-56.
Contemple Jesus sendo traído e preso.
Oração: Senhor. Quantas vezes com o meu pecado eu te traí. Quantas vezes o Senhor foi aprisionado e sofreu por causa das minhas iniquidades.  Liberta-me de uma vida ímpia. Transforma-me em discípulo seu. Em Nome de Jesus. Amém.

3. A condenação de Jesus perante o Sinédrio
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mt 26.57-66
Contemple Jesus sendo julgado pelo Sinédrio.
Oração: Senhor. Os religiosos não te aceitaram e te condenaram. Muitas vezes a minha religiosidade pode me afastar de ti. Ajuda-me a ser seguidor de Cristo. Que eu seja discípulo do Senhor e te receba como Senhor e Salvador. Em Nome de Jesus. Amém.

4. As negações do Apóstolo Pedro
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mt 26.69-75.
Contemple Jesus sendo negado por Pedro.
Oração: Senhor. Teu apóstolo Pedro te negou três vezes. Quantas vezes tenho te negado vivendo uma vida que não te agrada. Ajude-me a ser santo e fiel aos seus Mandamentos. Que na privacidade de minha vida eu seja tão fiel quanto diante dos outros nos serviços da Igreja. Em Nome de Jesus. Amém.

5. Jesus entregue a Pilatos
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Jo 18.28 -40.
Contemple Jesus sendo entregue a Pilatos.
Oração: Senhor. Os homens pediram sua morte diante de Pilatos. Pilatos desejou agradar a homens e aceitou a condenação. Que eu seja fiel ao Senhor. Que eu não oscile na fé diante das provas e das pressões humanas. Que eu te reconheça como rei da minha vida. Em Nome de Jesus. Amém.

6. A flagelação e a coroação de espinhos de Jesus.
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mc 15.15-20.
Contemple Jesus sofrendo nas mãos dos soldados.
Oração: Senhor. Meus pecados causam dores e sofrimentos em ti.  Minha vida pode te flagelar e te coroar de espinhos. Ajuda-me a ser um servo fiel. Que minha existência venha causar prazer e alegria no Senhor. Que meu testemunho exalte e alegre o teu coração. Em Nome de Jesus. Amém.

7. Jesus carrega a Cruz
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mt 27.31.
Contemple Jesus carregando a Cruz.
Oração: Senhor. Quão pesado foi a cruz que o Senhor carregou. Ajuda-me a negar a mim mesmo, tomar também a minha cruz e segui-lo. Que eu seja fiel a ti e não fuja da cruz e do sofrimento. Ajuda-me a ser fiel até a morte. Em Nome de Jesus. Amém.
8. Jesus e Simão Cirineu
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mc 15.21,22.
Contemple Jesus sendo ajudado por Simão.
Oração: Senhor. Pela graça de Deus, Simão te ajudou a carregar a pesada cruz. Que eu também esteja disposto a te ajudar a evangelizar e espalhar as Boas Novas que salvam vidas. Ajuda-me a ser como Simão. Transforma a minha vida e conte comigo para a salvação da humanidade. Usa-me na tua missão de salvar o mundo. Em Nome de Jesus. Amém.

9. O encontro de Jesus com as mulheres de Jerusalém
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Lc 23.27-31.
Contemple Jesus sendo consolado pelas mulheres.
Oração: Senhor. Tu dizes as mulheres que viriam tempos piores pela frente. Assim como o Senhor consolou as mulheres e as preparou para as provações e lutas, prepare o meu coração para enfrentar as dificuldades da vida. Que nada venha me afastar do seu santo caminho. Em Nome de Jesus. Amém.

10. A crucificação de Jesus
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Mc 15.24.
Contemple Jesus sendo crucificado.
Oração: Senhor. Na cruz o Senhor me salvou. A igreja foi comprada pelo precioso sangue do Senhor. Louvado seja o Senhor. Ajuda-me a honrar a tua bendita morte na cruz. Que eu seja testemunha fiel de sua santa paixão. Em Nome de Jesus. Amém.

11. Jesus e o ladrão convertido
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Lc 23.32-43
Contemple Jesus ministrando perdão ao ladrão convertido.
Oração: Senhor. No último momento o ladrão se converteu de seus pecados e pediu a entrada no paraíso. Ajuda-me a evangelizar as vidas que necessitam ter um encontro contigo. Ajuda-me a aproveitar a oportunidade para converter as áreas de minha vida que necessitam de santificação e graça. Em Nome de Jesus. Amém.

12. Maria e o Apóstolo João ao pé da Cruz de Jesus
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Jo 19.25-27.
Oração: Senhor. Tua mãe Maria e teu servo João sofreram muito diante da cruz, mas escutaram com serenidade suas palavras e orientações. Que eu tenha a paz para escutar suas orientações mesmo nos momentos mais difíceis da caminhada. Eu preciso te escutar e te acolher. Em Nome de Jesus. Amém.

13. A morte de Jesus
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Jo 19.28 – 34.
Contemple Jesus morrendo na cruz.
Oração: Senhor. Tua morte não foi o fim. Mas foi o principio da minha redenção. Olho para sua bendita morte e renovo meu compromisso de ser fiel até a morte. Por amor de ti. Em Nome de Jesus. Amém.

14. Jesus deposto no sepulcro
Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.
Jo 19.38-42.
Contemple Jesus sendo sepultado.
Oração: Senhor. Naquela sexta-feira a tarde o mundo ficou em silêncio. Seu corpo foi colocado no frio sepulcro. Mas o Senhor foi ao abismo e tomou a chave da morte e do inferno. O Senhor esteve triunfando sobre o mal e garantindo nossa vida eterna. Que eu tenha serenidade para contemplar a sua morte te louvar pelo sua fidelidade e amor por nós até o fim. Que eu ame e viva a justiça de Deus no mundo. Em Nome de Jesus. Amém.

Oração Final:
            Senhor, tem piedade de nós.
            Cristo, tem piedade de nós.
            Senhor, tem piedade de nós.
            Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje. E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal; pois teu é o Reino, e o poder, e a glória para sempre. Amém.


Nós te adoramos, Senhor Jesus e te bendizemos
Porque pela Tua santa cruz remistes o mundo.

sábado, 12 de abril de 2014



Domingo de Ramos e a Semana da nossa Salvação
Rev. Edson Cortasio Sardinha 
Mateus 21.1-11

            O Domingo de Ramos tem início em Betfagé. Betfagé (que significa "Casa de Figos") estava localizada no Monte das Oliveiras, na estrada de Jerusalém a Jericó e muito perto de Betânia. Era o limite da jornada de um dia de sábado de Jerusalém, isto é, 2.000 côvados (1 Km).
            No local existe uma linda igreja Franciscana. O santuário de Betfagé está situado no lado leste do Monte das Oliveiras. Aqui se comemora o encontro de Jesus com Marta e Maria antes de ressuscitar Lázaro, e a entrada de Jesus em Jerusalém em meio à alegria dos discípulos e da multidão que bradava hosanas.
            A peregrina Egeria (da Galécia, Espanha), foi a autora de um diário de viagem a Terra Santa no século IV. Ele relata com detalhes as liturgias realizadas na Terra Santa. Ela é a primeira a mencionar a tradição da procissão que tem início no santuário de Betfagé. Egéria escreveu:
             “ O domingo que inicia a semana pascal [...] todo o povo sobe ao monte das oliveiras [...] e quando chega a undécima hora (isto é, as cinco da tarde), se lê o trecho do Evangelho onde as crianças vão ao encontro do senhor com ramos ou palmas [...] Em seguida o bispo se levanta e com ele todo o povo. Então desde o monte das oliveiras se faz todo o percurso a pé, enquanto o povo precede o bispo, ao canto de hinos e antífonas, conforme o texto bíblico e a tradição cristã: Bendito aquele que vem em nome do Senhor. E todas as crianças do lugar, até mesmo os que não podem ainda caminhar pela idade e são carregados pelos pais, trazem nas mãos os ramos de palma ou de oliveira; no mesmo modo como foi conduzido o Senhor até a cidade, assim também é conduzido o bispo. Do alto do monte se vai até a cidade, e depois, atravessando a cidade, chega-se a Anástasis (Igreja do Santo Sepulcro)”.
            Epifanio Monaco Testemunhou que desde o século IX a procissão se inicia de um lugar ainda mais distante: “Cerca de uma milha (da Assenção), há o lugar onde Cristo se sentou sobre o jumentinho. Lá se encontra uma oliveira da qual todos os anos se corta um ramo, depois de terem pagado o preço, e em procissão adentram a Jerusalém, o dia das Palmas”. 
            Mateus 21. 1-3 diz que “Quando se aproximaram de Jerusalém e chegaram a Betfagé, ao monte das Oliveiras, enviou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes: 2   Ide à aldeia que aí está diante de vós e logo achareis presa uma jumenta e, com ela, um jumentinho. Desprendei-a e trazei-mos. 3   E, se alguém vos disser alguma coisa, respondei-lhe que o Senhor precisa deles. E logo os enviará”. Betfagé fala da oferta feita ao Senhor Jesus: uma jumenta e um jumentinho. Caso alguém perguntasse por que estavam levando a jumenta e o jumentinho os discípulos deveriam apenas dizer: “O Senhor precisa deles”. Isso bastaria.  Hoje devemos perguntar: “O que o Senhor precisa de nós?” O que precisamos deixar para que o Senhor leve? O que da nossa vida será importante para o avanço da obra do Senhor?
            Voltar a Betfagé é voltar a ouvir os discípulos nos desafiarem dizendo: “O Senhor precisa deles”.
            A jumenta e o jumentinho foram essenciais para que a profecia fosse cumprida: “ Ora, isto aconteceu para se cumprir o que foi dito por intermédio do profeta: Dizei à filha de Sião: Eis aí te vem o teu Rei, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de animal de carga” (Mt 21.4,5).
            Os donos dos animais contribuíram para que a profecia fosse realizada. Hoje Deus também conta com cada um de nós para que a profecia seja realizada na vida das pessoas. Precisamos declarar: “Senhor, eis-me aqui!”
            É um domingo de doações. Há doações de jumentos, vestes e ramos de árvores (Mt 21.6-8). As multidões clamavam (Mt 21.9): “Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas maiores alturas!” Mateus diz que “toda a cidade se alvoroçou, e perguntavam: Quem é este?” O povo respondia gritando (11): “Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia!”(21.10).
            Com isso tem início a semana santa. A grande semana da nossa salvação.
            Jesus chora ao ver a cidade, purifica o templo, ensina sobre o fim dos tempos, é traído por Judas, inaugura a santa Ceia no cenáculo, vai ao jardim do Getsêmani, é preso e levado para o Sinédrio na casa de Caifás, é entregue a Pilatos, levado a Herodes e novamente com Pilatos é condenado pelo povo. É levado ao pelourinho para apanhar e depois carrega sua cruz para fora da cidade. No calvário é crucificado. Morre e ressuscita ao terceiro dia para a nossa salvação. Aqui está a salvação da Igreja: Jesus morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para nos dar a nova vida.

            Que esta Semana Santa seja vivida com oração e serenidade para que possamos ouvir novamente a história da nossa salvação.  

segunda-feira, 31 de março de 2014

Exercícios Espirituais da Quaresma - 28,29 e 30 de março de 2014.

Pela primeira vez fizemos um Retiro no período da Quaresma. O local escolhido foi o Convento Madre Regina na cidade de Petrópolis - RJ. O preletor foi o Pastor Edson Cortasio Sardinha, metodista, membro da OESI. Estiveram presente 16 pessoas. 2 homens e 14 mulheres. Sendo 15 metodistas e 1 Presbiteriano. O Retiro foi trabalhado com Palestras, Exercícios Espirituais Bíblicos e Orações seguindo o Livro de Oração Comum. A natureza linda, o clima agradável da serra, o silêncio e a organização do convento e a participação de todos contribuiu para ser um retiro inesquecível. Deus nos levou a meditar no deserto do Senhor, na Semana Santa e na Páscoa. Vivemos intensamente cada etapa da Quaresma e saímos abençoados e transformados pelo Senhor.  
Livros de Espiritualidade disponível aos partricipantes

Jandira e Ana Paula

Coele e Elonede

Preletor Edson e sua esposa Marisa

Eliane e Maria José

A palestra

Refitório: Myrna, Nílcia, Madalena e Coele

Marisa, Pr. Edson e Ulisses

Teresa, Jandira e Elonete

Maria José, Eliane, Alice e Jandira

Ana carolina e Rosemary

Madalena, Coele e Ana Paula

Os quartos: cada pessoa ficou em um quarto separado (suíte)

Elonede no corredor do convento

Rosemary fazendo os exercícios espirituais

Myrna

Pr. Edson e Teresa

Oração das Vésperas na Capela.

A grande capela do convento - do arquiteto Claudio Pastor

na frente do convento

Myrna

parte do grupo

no portão do convento

foto oficial

Marisa, Pr. Edson, Irmão Teresinha (Coordenadora do Convento) e Elonete

A horta do Convento

Jardim

Linda Flores

Altar da Grande capela

Rosas

Caminho para o monte do Convento

Capela - O encontro de Maria com Isabel - O magnificat

Vista do Convento com o claustro ao centro

Atrás o caminho para o monte

Um dos muitos espaços para convivência

quarta-feira, 26 de março de 2014

Quaresma e o Cristo revelado em Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio

Rev. Edson Cortasio Sardinha

            A Paixão de Cristo e sua ressurreição são os grandes temas da fé Cristã.   A Quaresma é uma caminha espiritual que nos prepara para o encontro com esta grande celebração de fé.
            O sofrimento de Jesus foi revelado em todos os livros do Pentateuco. Hoje vamos ver Jesus nos livros de Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio e entender que a Visão de Deus é a Salvação da Humanidade através de Jesus, nosso Senhor.

Cristo Revelado em Êxodo
Moisés é um tipo de Cristo, pois ele liberta da escravidão. Arão funciona como um tipo de Jesus assim como o sumo sacerdote (28.1) faz intercessão junto ao altar do incenso (30.1).
A Páscoa do povo Hebreu indica que Jesus é o Cordeiro de Deus que foi oferecido pela nossa redenção (12.1-22).
As passagens “EU SOU” no evangelho de João encontram a sua origem primeira no livro de Êxodo. João afirma que Jesus é o Pão da Vida;  Moisés fala de duas maneira do pão de Deus: o maná (16.35) e os pães da proposição (25.30). João nos conta que Jesus é a luz do Mundo; no Tabernáculo, o candelabro serve como fonte de luz permanente (25.31-40).

Cristo Revelado em Levítico
Cristo não é especificamente mencionado em Levítico. Entretanto, o sistema de sacrifícios e o sumo sacerdote no Livro de Levítico são tipos que retratam a obra de Cristo na cruz do Calvário.
O Livro de Hebreus descreve Cristo como o sumo sacerdote e usa o texto de Levítico como base para ilustrar a sua obra. O Livro de Levítico enfoca a vida e o louvor do antigo povo de Israel.

Cristo Revelado em Números
Jesus Cristo é retratado em Nm como aquele que provém. O Apóstolo Paulo escreve sobre Cristo que ele era a pedra espiritual que seguiu os israelitas pelo deserto e deu-lhes a bebida espiritual (1Co 10.4).   
A pedra que deu água aparece duas vezes na história do deserto (cap 20; Ex 17). Paulo enfatiza a provisão de Cristo às necessidades de seu povo, a quem libertou do cativeiro.
Em Nm 21.8 Deus manda Moisés levantar um serpente de bronze no deserto para curar as pessoas mordidas pelas serpentes abrasadoras. Esta aste de bronze com a serpente simboliza Jesus na Cruz sendo levantado para a nossa salvação (Jo 3.14).
A figura messiânica do rei de Israel é profetizada por Balaão em 24.17, “Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó, e um cetro subirá de Israel”.            A tradição judaica interpretava este verso messianicamente, conforme atestado pelos textos de Qumran. Jesus Cristo é o Messias, de acordo com o testemunho uniforme do NT, e o verdadeiro rei sobre quem Balaão fala.

            Cristo Revelado em Deuteronômio
Moisés foi o primeiro a profetizar a vinda do Messias, um Profeta como o próprio Moisés (18.15). Notadamente, Moisés é a única pessoa com quem Jesus se comparou: “Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque de mim escreveu ele. Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?” (Jo 5.46,47). Jesus costumava citar Deuteronômio.
Quando lhe perguntavam o nome do mandamento mais importante, ele respondia com Dt 6.5. Quando confrontado por satanás em sua tentação, ele citava exclusivamente Dt (8.3; 6.16; 6.13; 10.20).
É muito significativo o fato de Cristo, que era perfeitamente obediente ao Pai, mesmo até a morte, ter usado este livro sobre a obediência para demonstrar a sua submissão à vontade do Pai.

Conclusão:

A Quaresma fala da profecia de Deus que foi cumprida em Cristo. O Cristo profetizado e esperado pelos homens e mulheres do Novo testamento veio ao mundo para morrer e ressuscitar ao terceiro dia. Nele somos salvos e libertos. Nele a Palavra de Deus se cumpriu plenamente. 

sábado, 22 de março de 2014

Visão de Deus, Gênesis e a Quaresma


Visão de Deus, Gênesis e a Quaresma
Rev. Edson Cortasio Sardinha



Deus trabalha com visões. A visão de Deus está presente em Apocalipse 7.9: “ Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos".
A Visão de Deus é a Salvação de homens e mulheres de todas as tribos, raças e nações. E para que isso aconteça Deus tem uma visão única para seus discípulos: Mateus 28.19: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos”. Observe: Deus tem uma visão. Para cumprir sua visão Ele conta com seus discípulos na tarefa de fazer novos discípulos. Levar novas vidas a ter um Encontro com Deus. A Bíblia fala dessa visão em todos os seus 66 livros. Hoje veremos a visão de Deus no livro de Gênesis.

I. A Visão de Deus em Gênesis
Gênesis inicia com a formação do sistema solar, os preparativos da terra para sua habitação, e a criação da vida sobre a terra. Todos os oito atos da criação foram executados em seis dias.
Os dez capítulos seguintes explicam as origens de muitas qualidades misteriosas da vida: a sexualidade humana, o matrimônio, o pecado, a doença, as dores do parto, a morte, a ira de Deus, a inimizade do ser humano contra o próprio ser humano e as dispersão das raças e línguas sobre toda a terra. É um testemunho da fé nas origens.
Iniciando no cap. 12, Gênesis relata o chamado de Abraão e a inauguração do concerto de Deus com ele, um concerto glorioso e eterno que foi renovado com Isaque e Jacó.
Gênesis é impressionante pela forma característica da sua narrativa, realçada pelo relato inspirador de José e pela multiplicação do povo de Deus no Egito.
Trata-se de uma lição na eleição divina, conforme encontrado por Paulo em Rm 9.
Gênesis conclui com a bênção de Jacó sobre Judá, de cuja tribo viria o Messias: “O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos” (49.10).
Muitos séculos e muitas lutas seguir-se-ão antes que esta profecia encontre o seu cumprimento em Jesus.

II. Cristo Revelado em Gênesis
O Cristo preexistente, a Palavra viva, estava muito envolvido na criação. “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.3).
O ministério de Jesus está antecipado em Gn 3.15, sugerindo que a “semente” da mulher que ferirá a cabeça da serpente (satanás) é Jesus Cristo, a “posteridade” de Abraão mencionada por Paulo em Gl 3.16.
Melquisedeque é o misterioso rei-sacerdote do cap. 14. Uma vez que Jesus é rei e também sumo sacerdote, a carta aos Hebreus faz, de forma apropriada, esta identificação (Hb 6.20).
A grande revelação de Cristo em Gn se encontra no estabelecimento do concerto de Deus com Abraão nos caps. 15 e 17. Deus fez promessas gloriosas a Abraão, e Jesus é o maior cumprimento destas promessas, uma verdade que é explicada de forma detalhada por Paulo em Gálatas.
Boa parte da Bíblia está fundamentada sobre o concerto abraâmico e o seu desenvolvimento em Jesus Cristo.
A dramática história da prontidão de Abraão em sacrificar a Isaque segundo a ordem de Deus apresenta uma incrível semelhança com o evento crucial do NT. “Toma agora teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas... E oferece-o em holocausto” (22.2), lembra-nos da prontidão de Deus em sacrificar o seu único Filho pelos pecados de todo o mundo.
Por fim, a bênção de Jacó sobre Judá antecipa a vinda de “Siló”, a ser identificada como o Messias. “ E a Ele se congregarão os povos (49.10).
Jesus é nosso Cordeiro Pascal, nosso rei e redentor.
Nesta Quaresma estamos caminhando com Jesus para a Páscoa onde todas as promessas de nossa salvação foram cumpridas. Quaresma é tempo de reflexão em nossa salvação. Esta é a Visão de Deus.

         

quinta-feira, 6 de março de 2014

Projeto da Casa de retiros da OESI - Vídeo Completo

Como será a Casa de Retiros Terra Santa?

O PROJETO.

A Casa de Retiro Terra Santa é um lugar especial voltado para a espiritualidade, liturgia, reflexão, meditação e leitura. É uma casa evangélica que segue os princípios da Reforma Protestante. É um espaço cristão de espiritualidade e crescimento e pertence a OESI -- "Ordem Evangélica dos Servos Intercessores".
Seu objetivo é ser um abrigo para pastores, líderes cristãos e irmãos que desejam ter um momento a sós com o Senhor meditando e refazendo suas forças espirituais através da Palavra de Deus e do Silêncio. Seu espaço existe para seminários e retiros espirituais.
Todo o espaço da Casa é rico em símbolos que levam o irmão (monge) a uma contemplação e uma intimidade com Deus.
É um lugar de reconstrução pessoal baseado na Palavra de Deus, na prática da igreja antiga, nos cristãos da Idade Média e nos monges cristãos que viveram no deserto e nos mosteiros.
É um espaço de deserto, onde o cristão pode passar alguns dias vivenciando um encontro pessoal com Deus.
A Casa de Retiro Terra Santa é cuidado e mantido por irmãos da OESI. É uma entidade interdenominacional voltada para a oração e intercessão pela santidade e crescimento da Igreja de Cristo na face da terra.
 É um ministério específico de intercessores que trabalha vigiando em oração, segundo o modelo dos primeiros cristãos, em comunidade para o avanço da obra missionária no mundo, a conversão dos pecadores e o preparo da igreja para volta de JESUS.
 São irmãos e irmãs protestantes que vivem na Comunidade como discípulos vocacionados para a obra permanente de Oração.
 Os líderes são evangélicos filiados a igrejas evangélicas, mas a Casa não tem filiação com nenhuma igreja local e nem tem vinculo doutrinário com nenhum seguimento evangélico. Cremos e vivemos os valores do Evangelho, da Reforma Protestante, a vida em santidade e o ministério de intercessão pela igreja de Cristo.
 Nossas liturgias, estudos e trabalhos visam gerar a fraternidade da primeira comunidade de discípulos em nossas vidas.
 A Casa de Retiros está aberta para ser abrigo a líderes evangélicos que necessitam de dias de retiro espiritual, silêncio e prática de oração.
 É um espaço liturgicamente preparado para nos conduzir a oração e a contemplação.
 Desejamos o crescimento da igreja de Cristo. Desejamos o aumento do número de salvos. Desejamos ver as igrejas grandes e cheias de vidas santas e consagradas. Desejamos ver a Igreja de Cristo fazendo missões e cuidado dos mais necessitados. Desejamos ver a igreja de Cristo trabalhando em prol da justiça e do Reino de Deus.
Para isso, buscamos irmãos e irmãs vocacionados, para orar a Deus e viver em intercessão para que a Igreja de Cristo cresça na graça e no conhecimento do Senhor e possa levar a salvação de Deus a todos os homens e mulheres.
Nosso objetivo é o avanço da igreja na face da terra. Para isso vivemos em oração.
 Nossa vocação se assemelha a de Ana (Lc 2.36,37) que era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e que não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.
 Desejamos viver em jejum e oração, noite e dia, na Casa de Retiro Terra Santa esperando a volta do Senhor e auxiliando no avanço da igreja através da oração e da súplica.
 Ore por este Ministério de intercessores.

 Ore pela Construção da nossa Casa de Retiros.

Casa de Retiro Terra Santa
Setor Chacareiro Ramalho
RO -- 135, Gleba Pyrineos, Setor 8, Lote 35 A, Unidade 10.
J-Paraná -- RO.